fbpx

O Brasil perde, em média, mais de R$ 267 bilhões por ano por causa dos congestionamentos

 

O Brasil perde, em média, mais de R$ 267 bilhões por ano por causa dos congestionamentos no caminho para o trabalho. Isso representa quase 4% de todo o Produto Interno Bruto (PIB) do país – soma de todos os bens e serviços produzidos. A cidade de São Paulo – considerada a 4ª mais congestionada do mundo – foi citada durante a Conferência Mundial do Futuro do Transporte, realizada, em junho, na Alemanha, como sendo a cidade que já “olha para o céu para escapar do congestionamento nas horas de pico”.

Dos 5.563 municípios brasileiros, apenas 140 são atendidos com voos comerciais regulares. Porém, dentre todos os municípios do país, 50% possuem algum tipo de pista de pouso. Isso favorece muito a aviação executiva. “O país começou no ano passado a sentir a retomada do segmento e acreditamos que este ano será ainda melhor. As pessoas buscam praticidade, agilidade e conforto”, ressalta Luciana Sales, CEO da Sales Serviços Aéreos.

E com a chegada de aplicativos de compartilhamentos também na aviação executiva, voar se tornou algo mais acessível. “Os viajantes selecionam um assento em determinado voo e conseguem viajar por um preço mais em conta. Estamos democratizando os serviços de táxi aéreo”, comemora Sales.

Confira a reportagem completa: encurtador.com.br/uvwQX

 



Comente